quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O tempo que se vai e não volta mais

Os caminhos que eu trilhei, todos os passos que eu dei, me trouxeram até aqui agora.
Sei sim que tropecei, algumas vezes até errei, mais uma hora teria que ir embora, me desculpe se machuquei, se menti ou enganei, só fiz aquilo que precisei para sobreviver aos meus próprios monstros e os outros lá fora.
Sinto muito se me tranquei no escuro, se chorei e se eu gritei, só nunca soube como lidar e na minha cabeça ninguém se importava.
Tudo muda e por mais que doa e demore sempre passa, o que ficam eternamente são as marcas.
E agora o cheiro de tinta é o que me consola, é o que me faz querer mais.
Não precisava ser assim, mas já não sei o que fazer e acho que você também não deve saber.
E agora é somente você em minha cabeça e o cheiro de tinta invadindo meus dias que me ajudam a sobreviver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário